XaD CAMOMILA

30 de dezembro de 2011

O Réveillon das togas iluminadas


Alberto Dines*

"Se 2011 entrou para a história carimbado com o nome de Dilma Rousseff, o ano seguinte, 2012, deverá repetir a dose com outra mulher, Eliana Calmon Alves. De qualquer forma, o cidadão brasileiro já garantiu sua cota na magnífica prenda de Natal oferecida pelo imbróglio entre a destemida Corregedora Nacional de Justiça e as entidades dos magistrados. A bateria de holofotes acesa pela juíza desde setembro, quando assumiu o cargo, é tão luminosa  como a galáxia de esperanças acesa pelos fogos de artifício nos festejos de  Ano-Novo. Pela primeira vez em seus 511 anos de história e 189 de vida institucional, o Brasil tem a chance de ver a espetacular tomografia do edifício de privilégios e regalias no qual vivemos, construído com a argamassa da injustiça.

O confronto de Eliana Calmon com AMB,  Ajufe e  Anamatra transcende às questões clássicas identificadas por  sociólogos do “sabe com quem está falando?” Sua quixotesca investida é contra o corporativismo e o clientelismo que tanto desfiguram o  Estado de Direito. A guerreira baiana não só  enfrenta o autoritarismo enrustido em instituições e entidades anquilosadas pelo tempo, está garantindo a produção e a sobrevivência dos indispensáveis contrapoderes (caso do CNJ) sem os quais nossa democracia será formal, retórica e claudicante.

Sua desassombrada cruzada dirige-se, na realidade, contra um sistema de abafamentos e silêncios herdados da colonização ibérica e o surpreendente apoio que vem recebendo de setores expressivos da  imprensa coloca-a em posições de vanguarda que há muito não frequenta. Eliana Calmon tirou o trombone da estante, tocou-o e, magicamente, do ruído fez-se a luz. Mesmo solitária, sua indignação espalhou-se porque ao examinar posturas e procedimentos de alguns magistrados, movimentou os desconfortos engolidos e os tormentos camuflados na alma de milhões de brasileiros que o dia inteiro resmungam e remoem queixas contra a impunidade."

*Alberto Dines é jornalista, fundador do Observatório da Imprensa.
-----------------------------------------------------------------
Desejo a todos um ano novo com muita paz de espírito e saúde - porque o resto a gente arruma!
E vamo que vamo! Em 2012, a luta continua!

Um comentário :

Sonia Amorim/Abra a Boca, Cidadão! disse...

Oi, Ivana... já corrigi meu lapso inicial, e inseri o crédito que faltava à sua indicação do artigo sobre as "togas iluminadas"... Abraços e Feliz Ano Novo! Grata pela força.

Estante do XAD

Blogs @migos

Blogs sujos & malvados